• TCLED

7 dicas para entrar na Indústria Farmacêutica

Atualizado: Jul 5

O ano está começando e as indústrias já estão se movimentando para preencher seu quadro de funcionários. Portanto, é o momento de os farmacêuticos que pretendem atuar neste segmento se movimentar para conquistar uma vaga nos laboratórios.



Segundo a farmacêutica Fernanda de Oliveira Bidóia, do site farmacêutica.com.br, a concorrência é grande: “De acordo com pesquisa realizada pelo ICTQ, nos próximos quatro anos entrarão para o mercado 100.048 mil novos farmacêuticos. São muitos profissionais para poucas indústrias e pouquíssimas vagas”. Por isso, ela descreveu sete principais razões para a não contratação de farmacêuticos e as sete dicas para entrar na indústria farmacêutica. Quem desejar se aventurar nesta área poderá se beneficiar com as recomendações da especialista.


Razões da não contratação


1. Falta de experiência:


Na indústria, o que conta é a experiência e o quanto um farmacêutico pode agregar. Cada área necessita de qualificações específicas. Não há tempo para ensinar. Indústria não é escola.


2. Falta de conhecimento técnico:


Muitos profissionais não possuem conhecimento técnico requerido. A maioria é reprovada em testes técnicos básicos de admissão.


3. Rotina de trabalho:


As áreas da indústria possuem diferentes rotinas de trabalho. Um recém-contratado tem pouco tempo de adaptação, por isso o conhecimento já deve existir.


4. Tudo é para ontem


Os cronogramas são apertados, as cobranças constantes e a rotina é exaustiva. O profissional que não tenha sido treinado, dificilmente se adaptará à correria exigida.


5. Anvisa


As inspeções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) são o teste final. Não pode haver falhas. Para aguentar a pressão tem que ter experiência, estômago frio e nervos fortes.


6. Falta de estudo


Cada área tem necessidade de conhecimento técnico específico. Não dá para contratar alguém que não sabe nada.


7. Agilidade e pró-atividade